Avançar para o conteúdo principal

Estátua do Neptuno passeando-se em Lisboa

De repente percebo que a estátua do Neptuno passeou-se mais em Lisboa do que eu imaginava.

O início desta história nada tem a ver com o final e menos ainda com o meio por isso vamos lá começar a pôr ordem na casa.

Início da história

Há uns dias uma amiga publicou numa rede social uma fotografia da estátua do Neptuno que está no Largo D. Estefânia.
Ao ver a fotografia que foi amavelmente feito com um telemóvel percebi que a dita não podia fazer justiça à beleza da estátua que foi recentemente recuperada. Ainda assim, deu para perceber que finalmente a fonte estava novamente iluminada após um largo período de recuperação.
Antes que possa ser vandalizada e enquanto está limpa é a altura perfeita para tirar um par de retratos. Claro que também foi um excelente motivo de convívio com um amigo fotógrafo que aceitou o desafio de imediato e fez o favor de me acompanhar na tarefa.
Após lanchar e esperar um pouco para que o cair do dia se fizesse anunciar, começamos a montar o equipamento e num ápice as máquinas começaram a disparar.
Conversa vai, conversa vem e acabo por dizer ao Rogério que esta estátua começou por estar no desaparecido Chafariz do Loreto, lugar hoje em dia ocupado pela estátua do Chiado.
Como é que sei estas coisas?

Meio da história

É simples. Caso o/a leitor/a não saiba, através da minha agência de viagens faço eventos que requerem conhecimentos de História e a cidade de Lisboa é palco de muitos desses eventos, nomeadamente em Peddy Papers que usam a História da cidade.
Assim sendo, há em mim uma incessante curiosidade sobre o passado de Lisboa e é este desejo de saber que me leva a perguntar quando é que ocorreu essa mudança do Chafariz do Loreto para aqui.

Final da história

Se eu sabia que a estátua tinha tido outra localização, o que não fazia a minima ideia é que entre a primeira localização e o seu atual poiso ela andou a passear-se em Lisboa.
Sem qualquer preocupação de muIto  rigor mas ainda assim com a intenção de saber alguma coisa sobre este assunto, comecei por fazer algumas pesquisas em sites da CML ou que de alguma forma estejam ligados a esta e conjugando com outras fontes que também pretendem informar sobre estes assuntos.
Não foi difícil obter alguma informação mas nada nunca me passou pela cabeça que esta pesquisa pudesse ter resultados tão interessantes.
Comecei a ler o resultado das pesquisas e vi que as informações não eram coincidentes.
Todos os sites eram unânimes quanto a algumas datas como seja o momento da produção da estátua mas quanto ao seu trajeto em Lisboa já não coincidiam. Não que me pareça que algo esteja errado nessas descrições mas sim porque cada site acrescenta dados que os outros não têm.
Não sei qual dos sites está certo ou errado, deixarei isso para os historiadores, mas partilho a súmula dos resultados obtidos e que por si só já tem interesse suficiente.
Então, segundo estes vários sites, a estátua desta divindade romana andou a passear-se em Lisboa até à atual localização, ora vejamos:
1771 - Chafariz do Loreto
1853 - O Chafariz do Loreto é desmantelado e a estátua é levada para a Mãe d’Água da Amoreiras
1866 - Do anterior local é transferida para o Museu Arqueológico do Carmo
1881 - Jardim da Estação Elevatória das Águas dos Barbadinhos onde ficará até 1940
1940 - É instalada na Praça do Chile onde hoje em dia está a estátua de Fernão de Magalhães
1950 - É desinstalada da Praça do Chile para dar lugar à actual estátua. (*)
1951 - É colocada na sua morada actual que é o Largo D Estefânia. (*)
(*) As informações sobre estas datas não são unânimes entre os vários sites, sendo estes anos os que me parecem mais fidedignos.
Tal como referi, esta não é uma pesquisa aturada por isso caso tenha algo a acrescentar não hesite, participe e adicione.

Antes de fechar o artigo

Esta "secção" foi introduzida após a publicação do artigo.
Recebi um par de chamadas de atenção e muito bem, o que agradeço aos leitores atentos, referindo que não tinha mencionado o autor da obra.
O grande Mestre Machado de Castro que nso presenteou com muitas outras obras que irei referir noutros artigos.
Sugiro a leitura de http://www.arqnet.pt/dicionario/machadocastro.html
David Monteiro
Os links referidos:
  1. http://revelarlx.cm-lisboa.pt/gca/?id=611
  2. http://www.lisboapatrimoniocultural.pt/artepublica/eescultura/pecas/Paginas/Neptuno.aspx
  3. http://www.ezimute.com/pt-PT/lisboa/categorias/spots/estatua-de-neptuno
  4. https://pt.wikipedia.org/wiki/Largo_de_Dona_Estef%C3%A2nia
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Cascata da Ribeira Grande, Ilha das Flores, Portugal

De Santa Cruz das Flores para a Fajã Grande, uma imensa cascata, a Cascata da Ribeira Grande. Estava na Ilhas das Flores, Açores, de férias e, ao contrário do resto do ano, não queria caminhar nem fazer qualquer tipo de atividade física. Queria usufruir do local dado que atividade física já a tenho durante o resto do ano. Mas há dois dias que chovia torrencialmente e fazia um mau tempo muito caraterístico da tipologia de surpresas que os Açores nos pode oferecer. O tempo estava tão mau que as ligações de e para as Flores foram cortadas e ficámos sem poder ir passar uns quantos dias à ilha do Corvo. Também caraterístico dos Açores é a rapidez com que tudo muda pelo que de repente o sol apareceu como se nada tivesse acontecido e toda a vida seguiu em frente, mas a revisita à ilha do Corvo acabou por ter que ficar para outra altura já que era tempo de seguir para o destino seguinte, a Fajã Grande.
No caminho de Santa Cruz das Flores para a Fajã Grande houve algo que nos interrompeu a vi…

2017 07 01 - Trekking no Parque Nacional de Aigüestortes

Trekking no Parque Nacional de Aigüestortes (Carros de Foc) , Pirenéus, Espanha Carros de Foc, um dos mais espetaculares percursos de trekking dos Pirenéus, com cerca de 200 lagos e cumes que rondam os 3000m de altutide e, ainda assim, de dificuldade moderada.
Partida: 1 de Julho, 2017 - Chegada: 7 de Julho, 2017 Data limite de inscrição: 15 de Maio de 2017
Local de partida e chegada: Barcelona, Espanha O Parque Nacional de Aigüestortes O Parque Nacional de Aigüestortes localiza-se na zona central dos Pirenéus e é o único Parque Nacional situado na Catalunha dividindo o seu território entre as comarcas de Vall d’Aran, Pallars Sobirá, Alta Ribagorça e Pallars Jussà, cerca de 200km’s a oeste de Andorra.
Criado em 1955 cobre hoje em dia uma área de aproximadamente 40.000 hectares considerando as zonas periféricas protegidas e é um espaço natural de extrema beleza em que os elementos água e granito aparecem no seu máximo esplendor em combinações surpreendentes.
Com uma elevada concentração de …