terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

2017 07 01 - Trekking no Parque Nacional de Aigüestortes

Trekking no Parque Nacional de Aigüestortes (Carros de Foc) , Pirenéus, Espanha

Carros de Foc, um dos mais espetaculares percursos de trekking dos Pirenéus, com cerca de 200 lagos e cumes que rondam os 3000m de altutide e, ainda assim, de dificuldade moderada.


Partida: 1 de Julho, 2017 - Chegada: 7 de Julho, 2017
Data limite de inscrição: 15 de Maio de 2017
Local de partida e chegada: Barcelona, Espanha
Lac-Negre-001---Spain

O Parque Nacional de Aigüestortes

O Parque Nacional de Aigüestortes localiza-se na zona central dos Pirenéus e é o único Parque Nacional situado na Catalunha dividindo o seu território entre as comarcas de Vall d’Aran, Pallars Sobirá, Alta Ribagorça e Pallars Jussà, cerca de 200km’s a oeste de Andorra.
Criado em 1955 cobre hoje em dia uma área de aproximadamente 40.000 hectares considerando as zonas periféricas protegidas e é um espaço natural de extrema beleza em que os elementos água e granito aparecem no seu máximo esplendor em combinações surpreendentes.
Com uma elevada concentração de cumes que rondam os 3.000m, como seja o Punta Alta (3.015m) e o Contraix (2.960m) estabelece-se um elevado contraste com os vales de verde profundo onde correm riachos de águas cristalinas.

O Percurso Carros de Foc

O percurso a realizar tem aproximadamente 75Km que se dividem em 7 etapas/dias.
É um percurso circular, também conhecido como Carros de Foc e atravessa montes e vales onde o caminhante encontrará lagos de água cristalina que refletem as silhuetas de montanhas graníticas.
A altitude média do percurso situa-se na quota dos 2.500m, chegando por vezes muito próximo dos 3.000m.
Durante o percurso o caminhante terá oportunidade de visitar 8 refúgios de montanhas entre os quais serão utilizados 6 para pernoitar e tomar refeições.
O recurso a refúgios de montanha para pernoitar e tomar refeições permite que os participantes não tenham que transportar peso excessivo nas mochilas.
Além do mais, estes refúgios são um ponto de encontro de caminheiros de vários pontos do globo e a troca de experiências cria momentos inesquecíveis.
O ritmo confortável e as distâncias moderadas tornam este percurso acessível à maioria dos caminheiros mesmo com pouca experiência. O apoio do guia dará a componente de enquadramento técnico fundamental para que cada participante traga para casa excelentes memórias desta viagem.

Alojamento

As 6 noites desta viagem serão passadas em refúgios de montanha no Parque Nacional de Aigüestortes.
aiguestortes-022-espana

Refúgios de montanha

Há muitos tipos de refúgios de montanha e as experiências que possamos ter tido em alguns locais não serão necessariamente iguais às vivências que poderemos ter no Parque Nacional de Aigüestortes.
No contexto de refúgios de montanha a nível europeu, estamos perante um conjunto de refúgios com muito boas condições, com muito boa gestão e muito bem frequentados.
São construções de pedra e alvenaria, com interiores de madeira para maior nível de conforto e a maioria disponibilizando água quente para duches.
Com lotações que variam entre 20 e 70 pessoas dependendo da sua dimensão, oferecem um conjunto de serviços variados não perdendo o seu carisma montanheiro que os caracteriza.
Cada refúgio tem a sua gestão própria variando assim algumas pequenas regras fundamentais para o bom convívio entre os montanheiros que aqui afluem vindos de locais tão diversificados.
As fotografias que pode ver na galeria de imagens dão uma ideia do aspeto de alguns dos refúgios utilizados nesta viagem.
Para o Participante que não tenha experiência de refúgios de montanha esta é uma excelente oportunidade de experimentar. A Organização disponibiliza-se para dar o apoio informativo que ajuda na preparação dos menos experientes nestes contextos.
Os Participantes que já têm experiências anteriores possivelmente irão ficar muito agradados com as condições que aqui irão encontrar.

Alimentação

Do jantar do primeiro dia ao pequeno-almoço do sétimo dia, as refeições serão as fornecidas pelos refúgios de montanha onde ficarmos alojados e estas refeições estão incluídas no preço da viagem.
Os ditos refúgios fornecem o pequeno-almoço, a merenda de almoço e o jantar.
Estes refúgios oferecem opção vegeariana bastando para tal serem avisados no momento da reserva.

Mochila do dia e restante bagagem

Durante o tempo de caminhada os Participantes levarão consigo a mochila com o que necessitarem para o período da caminhada.
Por motivos de segurança não é permitido deixar bagagem na viatura de transporte que ficará em estacionamento público. Qualquer outro acordo será combinado individualmente.

Vestuário, calçado, mochila e outros itens individuais

A Organização disponibiliza-se para dar apoio informativo a todos os participantes que assim necessitem no sentido de melhor se prepararem.

Deslocações durante a viagem

Durante a viagem haverá apoio logístico de viatura que fará os transfers constantes no programa detalhado e cujo serviço está incluído no preço da viagem.

Programa Detalhado

O Programa Detalhado faz parte da documentação que o Participante recebe quando é confirmada a viagem.

Viagem de Avião

Estas viagens poderão ser adquiridas diretamente pelo Participante à companhia aérea ou através da agência de viagens nossa parceira.

Estrutura diária

Não obstante as pequenas diferenças diárias ditadas pelas especificidades de cada etapa, um dia típico será:
08:00 – Pequeno-almoço
09:00 – Início da jornada diária. Durante o percurso existirão vários momentos de paragem por motivos variados
16:00 – Chegada ao refúgio de montanha e final da jornada diária
19:00 – Jantar

Participantes

Adultos. Máximo de 7 e mínimo de 4 participantes.

Seguro

O preço inclui seguro de acidentes pessoais durante os momentos de atividade.

aiguestortes-010-espana

Preço

665€/Participante
Desconto de 7€ a quem tenha o seu endereço de email registado no site https://montesevales.net/.
O Preço inclui: Participação na viagem aqui exposta com os transfer mencionados, 6 pernoitas em refúgios de montanha em regime de pensão completa, seguro de acidentes pessoais durante os momentos de atividade, enquadramento técnico e IVA à taxa legal.

Reservas

Lembre-se:   Deixar tudo para a última hora não compensa. Resultará em custos acrescidos e dificuldades de reserva. Quanto mais cedo fizer a sua reserva maior será a probabilidade de haver lugar nos refúgios e maior será a sua probabilidade de vir a ter umas férias de sonho.
Enquanto o evento está online é porque temos vagas para acolher a sua inscrição.Para reservar será necessário:

1) enviar um email para geral@montesevales.com com os nomes e datas de nascimento dos participantes para a efetivação do seguro de acidentes pessoais

2) seguidamente deverá fazer o respetivo pagamento para IBAN PT50 0007 0000 0031 3261 0162 3

3) enviar algum tipo de comprovativo para o email acima referido.

Em caso de dúvida contacte: geral@montesevales.com +351 914 794 553

A inscrição será considerada apenas com o respectivo pagamento.

Importante: Por motivos logísticos, após esta data limite de inscrição não será possível aceitar inscrições.

Cancelamento

100% devolução até ao final do dia anterior do limite de reserva. Sem lugar a devolução a partir do dia do limite da reserva.

www.montesevales.com

Montes e Vales é uma marca registada da Iberhills – Eventos e Viagens, Unipessoal Lda

RNAAT: 338/2016 Turismo de Portugal

RNAVT: 6246 Turismo de Portugal

Reconhecimento Turismo de Natureza, ICNF

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Alambre, Moscatel de Setúbal da JMF

Alambre, Moscatel de Setúbal da JMF

Há pequenos prazeres que dão mais côr à vida tal como saborear um moscatel de Setúbal ao final da tarde, se puder ser acompanhado com uma torta de Azeitão tanto melhor.

Neste caso, delicio-me com um vinho José Maria da Fonseca neste final de dia frio mas com sol.
Venham mais momentos assim.
David Monteiro

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Salada de batata em Santo Antão, Cabo Verde

Salada de batata em Santo Antão, Cabo Verde

Como encaixamos uma salada de batata numa caminhada em Santo Antão?

Depois de ultrapassar os 750m de desnível que nos separavam de Cabo de Ribeira (Paúl), estávamos em Cova, a cratera de um antigo vulcão que estará extinto há mais anos do que aqueles que saberei referir.
Foi uma valente caminhada, exigente mas que ainda assim me deixou disponibilidade mental para apreciar a paisagem na subida, sempre fugindo de um nevoeiro que nos perseguiu encosta acima por esse caminho serpenteado.
Já na caldeira, circundámos a cratera pela direita vendo ainda mais abaixo os orgulhosos verdes campos de cultivo de milho e outros produtos. Às nossas costas afastava-se o portal que cruzámos para deixar a ascensão e por onde entretanto apareceram as nuvens que nasceram da névoa que nos perseguiu ao longo da subida.
Essa neblina ganhou muitas tonalidades de cinzento que contrastavam com o céu azul. Naturalmente relacionei esta neblina com o verde da cratera e rapidamente fica descoberto o mistério da exuberância que aqui dominava.
Não sendo uma subida extenuante, ainda assim foi o suficiente para me dar uma imensa tranquilidade e ajudar ao disfrute das pequenas coisas como seja a beleza paisagística das montanhas abrutas à nossa volta ou apreciar o modo de vida de quem aqui trabalha arduamente.
O estômago não tarda a lembrar-nos da sua existência e de que desde o pequeno-almoço não via alimento.
Tinham-me falado de um bar/restaurante por estas bandas mas que ninguém conseguia garantir que estivesse aberto.
Não foi difícil encontra-lo e, se a simpatia saciasse a fome como a alma nada mais teríamos almoçado. Porém, tudo isto é muito bonito mas haveria que satisfazer as necessidades terrenas.
A escolha não existia pelo que pedimos o que havia: uma salada com batatas de sequeiro e tomate e outro prato com salada de queijo de cabra.
Olhei de viés para as batatas sem grande vontade mas com fome. Não gosto de batatas mas lá teria que ser.
Nunca pensei que algum dia poderia fazer uma crítica positiva a batatas cozidas mas na verdade foi uma das refeições mais memoráveis da minha vida.
Foi bem temperado pela fome?
Não digo que não. Mas se sim, então aconselho a que da mesma forma o façam caminhando antes de aqui comerem mas creio que não é o caso, as batatas eram de elevadíssima qualidade, cozidas na perfeição, o tempero de azeite, orégãos e alho estava divinal e, para fazer jus a tal iguaria as batatas acompanhavam-se com tomate cujo sabor parecia concentrado.
Não esperava que na zona se cultivasse tomate, habituado que estou a tomate da Península Ibérica e menos preparado ainda estava para encontrar-me com tão bons frutos aqui plantados.
Fica a sugestão para quem por essas zonas ande e a certeza que não será a ultima vez que visitarei tal local só esperando que possa repetir a iguaria.
David Monteiro